2017 e seus aprendizados

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

2017 não me trouxe muitas realizações materiais - ou cursos, viagens e tatuagens. mas 2017 me trouxe aprendizado, de todos os tipos. esses são os mais importantes: 

aprendi a me tornar ainda mais sozinha, e a me completar com a solidão - dizem que quando você se depara com ela é porque precisa mais de si. consegui.

aprendi que quando você faz algo por amor, a esperança se torna mais forte do que a espera. eu tenho esperança que os frutos serão colhidos, talvez amanhã, talvez ano que vem. mas que um dia os meus sonhos serão realizados. 

aprendi também que quando você quer muito uma coisa, você consegue. mesmo que demore. 

e aprendi, principalmente, que não importa o que aconteça, eu não posso tirar o sorriso do rosto.

pois bem, sigo sorrindo. pelo resto desse ano e por todos os outros. é só o começo de uma vida adulta cheia de obstáculos, mas também cheia de amor. e eu não vou, e nem quero, desanimar. algumas pessoas dependem da minha felicidade, e são essas que eu nunca quero decepcionar. 

ei, você.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

ei, você. você mesmo. sabe esse problema ai? ele será resolvido. talvez com ou sem a sua ajuda. as vezes nem é um problema propriamente dito, mas uma fase - e ela também vai passar.

você precisa é dar tempo ao tempo. escutar o seu coração. respirar. sentir um ventinho no rosto - mesmo que seja na janela do ônibus. já te falaram que tudo passa, né? amores machucados vão embora com o tempo, pessoas que te fazem mal o universo leva pra longe, dinheiro um dia chega - talvez pouco, mas chega. então senta, relaxa, respira.

você é maior do que isso, sabe? e problemas existem aos montes, desde sempre e para sempre. se você pirar, eles não irão se resolver. e se você pirar em todos, no final não vai existir nada de você.

e você, sinto falar, está nessa vida para existir. para existir, viver, se conhecer. e sobreviver. aos problemas, fases, complicações. é lindo sorrir no final de tudo e saber que a vida só te preparou para o próximo desafio. e quando ele chegar, você já estará calejado. tão calejado que nem sente, só pega a cara, sem se esquecer da coragem, e vai. experiência de vida, é esse o nome. ou histórias para contar, você escolhe.

senta, relaxa, respira. você é maior do que tudo isso, não se esqueça.

confia e torce, mas não se esquece de se agarrar na fé.


25.07

terça-feira, 25 de julho de 2017

dia nacional do escritor. 

comecei a escrever em diários com 10 anos, mais ou menos. desde então, esse hábito nunca morreu e se tornou mais forte ao longo dos anos. o amor pela leitura me deixava com vontade de escrever, então passava horas e horas colocando no papel todos os detalhes do meu dia. todos. os. detalhes. hoje em dia, aumentei o leque: escrevo no diário, aqui, na máquina de escrever, em post its perdidos pelo mundo, e estou pensando no meu futuro livro. 

a escrita sempre me salvou, e é impossível me curar de um sentimento sem colocar ele no papel. parece que, quando sai, seja bom ou ruim, tudo começa a fazer (ainda) mais sentido. 

espero, daqui alguns poucos anos, comemorar esse dia da forma correta: olhando para o meu livro (ou livros) com a certeza de que segui o melhor caminho: continuar escrevendo, apesar da insegurança que sempre me faz querer desistir. 

um dia triste

quinta-feira, 20 de julho de 2017

20 de julho de 2017.

não foi um dia bom. ainda não terminou, mas sei que continuará sendo um dia ruim. nada de muito grave aconteceu na minha vida ou na vida das pessoas que amo, com exceção de uma triste notícia para o mundo da música - do qual, em termos, faço parte -, mas enfim, um dia ruim não precisa de muitos motivos. 

está tudo bem. ficar triste durante apenas um dia não é tão desolador quanto aparenta. aliás, dias ruins existem para que possamos valorizar os dias bons, né? escrevi sobre isso no último texto. 

o que fez o meu dia ser ruim? talvez tpm, talvez a insegurança dos rumos que estou tomando, ou a ansiedade em colocar os meus sonhos em prática. nesses momentos preciso me lembrar que sou melhor do que isso, que existe dentro de mim um mundo muito bonito que deve ser cuidado e valorizado. preciso me lembrar de todas as belas cores que o mundo tem dentro dos meus olhos, e que um dia cinza nada mais é do que passageiro - seja aqui dentro ou lá fora. 

preciso me lembrar que sou cercada de pessoas boas,  que ontem ouvi a minha sobrinha falando tia sem parar e que no sábado estaremos juntinhos - eu, ela e meu sobrinho - e que não existe nada mais lindo do que esse amor que sentimos. 

preciso me lembrar que o mundo pode ser lindo, sim senhor, desde que eu perceba isso, apesar de todas as injustiças que predominam o universo. preciso me lembrar que existem muitas histórias que preciso conhecer através de páginas e mais páginas e que os meus sonhos irão se realizar - na hora certa. 

eu sei que amanhã tudo vai melhorar. para ajudar, posso sair de casa com uma roupa rosa só pra me sentir mais confiante - quem diria que uma cor ajudaria tanto no humor?

tudo vai ficar bem, essa tristeza no meu coração não é o fim do mundo. 

se você acompanha esse espaço, me desculpe por falar tanto de mim, mas um dia a clarice escreveu que "quem se indaga é incompleto", e por isso sinto a necessidade de escrever sobre os meus sentimentos: para me completar. 

e se você está passando por isso, acredite: tudo vai melhorar. talvez amanhã, talvez depois. dê um tempo para o seu coração se recuperar de qualquer trauma, qualquer tristeza ou dia ruim. o sol vai brilhar, bem antes do que você imagina. 

não sei de quem é a arte, mas enfim


eu te desejo

quarta-feira, 19 de julho de 2017

uma vida repleta de histórias para contar;
amores que te tirem do chão;
alguém que possa transformar o seu corpo em fogo - e que saiba aquecer principalmente o seu coração;
amigos que possam te acalentar em qualquer momento, seja ele bom ou ruim;
um livro que te faça viajar - não importa tempo ou distância;
viagens que possam te mostrar toda a beleza do mundo;
algumas dores para que você possa crescer - e se fortalecer;
dias tristes para que você possa valorizar os dias felizes;
laços familiares que não prendem, mas que cuidam;
um amor que transforme o seu coração em ouro e que te faça doar para quem mais precisar - nunca é demais;
a certeza de que o que você é vale muito mais do que o que você tem - e a certeza de que tudo de ruim que te acontece é muito menor do que o que você é.

quero ter uma vida corrida

quinta-feira, 13 de julho de 2017

2010, sala de aula, 15 anos. "quero ter uma vida corrida", falei para algumas meninas. logo em seguida, tive. estudava de manhã, corria para o trabalho e só chegava em casa a noite. tempo para respirar? não tinha. essa rotina piorou e em 2015 eu tinha gastrite, problemas no rim, pesadelos e não me alimentava direito. 

sobrevivi. 

hoje tudo está mais tranquilo - continuo pensando no trabalho durante as 24h do dia - mas consigo respirar. me alimentar. dormir. sair. viver

cresci como profissional e ainda mais como ser humano. mas o que mais me orgulha: ser a mulher que sou hoje. 

acabei de ver uma foto de uma família da qual não faço mais parte e isso mexeu comigo. sensação de nostalgia. senti como se tivesse perdido algo. 

e ao mesmo tempo, tive uma sensação de paz. eu simplesmente me mantive focada nessa foto por alguns minutos até entender o que senti: eu não me encaixaria mais nessa foto. 

tudo que vivi, tudo que vivo, todas as histórias que fiz, tudo que me trouxe até aqui: não me encaixo mais. é como se hoje eu fizesse parte de uma outra esfera, um outro mundo, onde o passado é retrógrado demais para mim. não é SÓ o meu passado, é uma pessoa que nunca mais quero ser.  

fiz tudo o que quis a partir do momento que resolvi seguir o meu próprio caminho. e demorou. 20 anos, para ser mais exata. já era uma adulta pagando as próprias contas quando resolvi decidir sozinha o que faria da minha vida. 

e sigo. faço o que quero, assumo meus erros, busco o meu bem estar, vivo o que preciso viver, crio histórias para contar. 

sou feliz.

rodeada de pessoas boas, rodeada de amor - do quarto ao mundo todo - e cheia de vontade para deixar a vida acontecer.

não me encaixo naquela foto. me encaixo em outras, em milhões, hoje e no futuro. mas não no passado. nem se o passado virasse o presente. 

aquela garota de 15 anos pode ter se arrependido do que jogou para o universo - teve a tão sonhada vida corrida, e cansativa - mas foi essa garota que me deu o pontapé inicial para trilhar meu caminho. 

quando vi que as notas estavam boas e que eu conseguia cuidar de uma empresa, decolei. não só profissionalmente, mas na vida toda. foi quando descobri que a vida era bela demais para não ser vivida e foi quando decidi viver. mas principalmente, foi quando percebi que não importava o tamanho do tombo: eu sempre conseguiria me reerguer. 

23 anos e continuo caindo aqui e ali (até literalmente), mas sempre me fortaleço em seguida. 

forte, essa menina. sempre e mais.  




já sou maior que eu

segunda-feira, 10 de julho de 2017

estamos em julho e 2017 segue sendo um dos anos mais estranhos desses 23 verões que já vivi. não canso de dizer que a vida deu grandes voltas para me deixar onde estou agora, e sei que tudo tem seu tempo e etc etc etc, mas é bizarro parar para pensar em tudo que anda acontecendo. 

eu não imaginava que a vida seria assim nesse estágio e certas coisas me assustam - ando vivendo uma fase onde o futuro me deixa com medo, e ao mesmo tempo, feliz - morro de orgulho da mulher que me tornei, mas tenho medo do que serei daqui algum tempo. 

são aventuras assustadoras e lindas, e no geral, tudo está tranquilo - trabalho continua sendo o melhor, amigos continuam sendo os melhores, família continua me dando colo e apoio e os livros ainda me ajudam a fugir de tudo - mas me sinto só. na verdade, nunca me senti tão só na minha vida inteira. e isso é bom. dia após dia sinto que tudo que estou vivendo tem apenas um só propósito: meu amadurecimento. 

no ano passado, após duas sessões de terapia (e as únicas por enquanto), a psicóloga me disse: "você precisou amadurecer de uma hora para a outra, mas não teve base nenhuma para isso, e pode cair a qualquer momento". ainda me sinto na corda bamba, sim, mas essa pequena análise me ajudou a transformar todos os obstáculos em linhas de chegada. a cada vez que cruzo um, comemoro e sei que me tornei melhor do que já fui um dia. 

acordo todos os dias cansadas de todas essas aventuras, porém disposta. sei que estou me tornando cada vez mais forte, e assim, provando para mim e para todos que eu posso, sim, passar por cima de tudo sem perder o sorriso no rosto e a vontade de viver. se tem uma coisa que eu consigo fazer, é isso. sem medos, sem receios, só com aqueles 20 segundos de coragem.

sigo sendo o que quero ser, e o que mais me orgulha atualmente é saber que ninguém tenta me fazer ser o que não quero. tudo o que sou, conquistei. transformei. lutei. me libertei.

quis.

e cresço. cresço tanto que já sou maior que eu. e floresço. tanto, que o meu amor já é maior do que tudo. e sonho. sonho tanto, que já não sei mais viver no chão.

e que nenhuma aventura, nenhum fato, nenhuma lembrança, seja maior do que o meu bem estar. 

resisto, sigo, continuo. 

eu vou até o fim. 



Made With Love By The Dutch Lady Designs