pode chorar

quinta-feira, 16 de março de 2017

vai, chora. pode chorar. no ônibus, no banheiro do trabalho, debaixo do edredom. no banho também pode. pode chorar lágrimas gordas e pode chorar sem parar. coloca pra fora tudo que te faz mal. chore por dias seguidos até tirar tudo de dentro de você, não deixe nenhum vestígio. pode chorar enquanto almoça, enquanto trabalha e enquanto lava a louça. pode engasgar ao ouvir um "tá tudo bem?". ninguém vai te julgar. mas é pra tirar tudo de dentro de você, não deixe nenhuma sobra.

você pode ficar triste durante um tempo, mas não o tempo todo. a vida é boa, lembra? e ela continuará sendo. são fases, e essa não é das melhores. coisas boas vão acontecer, daqui a pouco já é semana que vem e certos abraços podem curar tudo - cheiro de vó e colo de mãe, então, nem se fala. tá permitido chorar. por quem já foi e por quem ficou. pode chorar ao olhar a conta bancária, pode chorar de saudade e de preocupação. mas o sol nasce amanhã, e você precisa se preparar para toda a beleza que existe na vida - apesar da escuridão de agora. as coisas podem melhorar, e sempre foi assim. a vida adulta não é esse bicho de sete cabeças que não te deixa dormir a noite - é só uma fase. 

pode querer fugir, o mundo pode se tornar apertado demais pra você, mas permaneça. por você e por eles. continue tentando até tudo se resolver. fique pelos seus laços, fique por sua história e aguarde a boa fase que vai chegar - ela sempre chega. 

um vinho barato e cigarros de uma marca qualquer

quinta-feira, 9 de março de 2017

um quarto. um quarto com um barco desenhado no teto. nós dois. nós dois e um vinho barato de um mercado qualquer. cigarros. cigarros de uma marca qualquer, de um bar qualquer. eu e você, sem existir meio termo, entregues totalmente a nós. uma máquina que revela fotos na hora. fotos que nunca vamos expor, fotos que vamos guardar, fotos que irão manter a imagem de dois jovens, nos seus respectivos 24 e 23 anos, apenas nós. fotos que vamos encontrar depois de anos e anos, contendo toda a juventude de uma história que foi apenas nossa, cujas dores e alegrias partilhamos, apenas nós. rosto, corpo, colados, juntos, longe. contendo suor, contendo carinho, contendo amor. amor que pode durar, mas que também pode acabar. continuarei te guardando na área mais segura do meu coração, apesar dos anos e das possíveis mágoas. podemos continuar com o amor apesar do tempo, da idade e da distância, mas se não houver continuação, teremos lembranças. histórias, fotos e memórias. memórias nossas, e de mais ninguém, memórias contendo os dias de duas pessoas, um casal momentâneo, aproveitando a melhor parte do amor: nós. nós, um vinho barato e cigarros de uma marca qualquer, em um quarto na sua cidade, com um barco desenhado no teto. eu e você. 

te espero

quinta-feira, 2 de março de 2017

ainda não sei quando vou te ver, mas só de saber que um dia vamos nos encontrar, meu coração dispara. só de saber que um dia posso te ver de novo no aeroporto, meu coração quase para. 

já te disse que acho o nosso amor puro? tão puro quanto as águas de algumas praias da sua cidade. amor desses de filme: somos mais do que amigos, e ao mesmo tempo amantes. acho que é isso que a distância faz com os relacionamentos: transforma tudo em algo puro, pois só um sentimento assim consegue aguentar os tantos quilômetros. 

quanto te conheci jurei que era paixão impossível, amor platônico e essas coisas. mas quando descobri que era recíproco - o carinho, a admiração, o desejo e o amor - agradeci aos céus, aos mares, ao mundo. já percorremos tanto e ainda temos tanto para percorrer que só consigo me sentir ansiosa - o tipo de ansiedade que me faz perder o ar, assim como você. 

te espero, meu menino do aeroporto que com o tempo se tornou o homem dos sonhos. te espero e nos espero para que possamos viver o roteiro mais sem nexo das nossas vidas: o destino que trilhamos juntos. 


já disse que a vida é boa? então, ela é.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

a vida caminha por caminhos que não escolhemos. ainda falamos que gostaríamos de viver o que vivemos hoje no passado, sem saber que foi justamente o caminho percorrido no passado que nos trouxe até o presente momento. é uma dádiva, meus amigos. 

há anos atrás estava em uma agência atendendo o meu atual trabalho, e hoje vivo coisas que nunca imaginei viver. e quem diria que um dia estaria onde estou? não conseguiria viver nada disso se essa fosse a minha vida nos anos que já passaram, precisei aprender muitas coisas para chegar até aqui e o melhor de tudo isso é que cheguei, não importa se demorou ou não. 

sabe quando você pede uma comida e ela demora para chegar? repare: o sabor fica mil vezes melhor e mais inesquecível. a espera produz algo que é desconhecido pelas minhas palavras, mas que não passa despercebido pela minha felicidade ao conquistar o que tanto sonhei.

passo os meus dias querendo mudanças, mas quem precisa correr atrás das mudanças? eu. e se eu cheguei até aqui para viver o que vivo, foi por correr atrás. aquele e-mail que mandei, aquela foto que curti, aquela mensagem que respondi e o amor que me permiti viver. 

a vida adulta pode até ser difícil - são tantos boletos que até me sinto mal pela mãe natureza - mas ela nos oferece tantos bons ensinamentos que só não segue quem não quer. eu aprendi a me virar sozinha, aprendi que a reciprocidade é o mais importante e aprendi que dinheiro não compra tudo, realmente. não tenho salto alto e muito menos a melissa da moda, mas tenho uma coleção de momentos felizes, bons amigos que passaram por aqui e muito amor guardado para ser ainda mais distribuído. 

a vida é boa, afinal. e mais importante do que o amor por ela, é o tesão por tudo. no mais livre e claro significado da palavra. e claro, a pureza para enxergar as coisas boas no meio de tudo que nos é imposto. 

Max Ehrmann's

tudo vai dar certo na segunda-feira

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

a vida não é só trabalhar e ganhar dinheiro. 

sua vida profissional não deve ser mais importante do que a pessoal.

o amor deve ser o mais importante, e não o currículo.

tudo bem sair um pouco da reta, é importante ter história para contar. 

tudo vai dar certo no fim. 

tem dias que me sinto presa. parece que nada faz sentido, que ainda estou longe de conquistar tudo que quero e que a minha conta no banco nunca sai do vermelho. lembrar que ontem dei boas risadas com bons amigos e que me diverti enquanto o sol brilhava lá no céu é um exercício difícil de ser seguido: a vida adulta parece areia movediça. eu preciso listar mentalmente tudo que já fiz e que já conquistei para me sentir mais tranquila, mas mais importante do que isso é lembrar de todos os lugares que já conheci, todas as pessoas que ganhei ao longo do caminho e todos os sorrisos sinceros que estampei no meu rosto. dessa vida não se leva nada, já dizia Forfun, mas levamos as boas histórias para além de todas as gerações. 

permita-se sofrer na segunda-feira, mas não se esqueça que a vida é muito mais que isso. leia um livro quando chegar em casa, faça carinho no seu cachorro, ouça uma música e até chore no banho se for preciso, mas acorde com um sorriso no rosto amanhã. é um ciclo, e você é mais forte do que isso.

espere pelo bem que ele vem. 


quero que fique, mas não hesite se quiser ir

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

ainda não te conheci, mas já te sinto especial. talvez por tudo que você viveu e por tudo que você ainda vai viver... e talvez por tudo que você vai me permitir viver. antes de criar qualquer história, saiba apenas que sou 8 ou 80. hoje, quero andar de mãos dadas e quero até te abraçar ao cruzar uma avenida qualquer de uma cidade qualquer. amanhã vou querer distância - vou andar do lado oposto da rua, mesmo se ainda te amar. quero que saiba que vou precisar do meu espaço e vou te permitir ter o seu - e que vou amar ter um espaço para chamar de nós. só te peço que queira ficar, mas não hesite se quiser ir embora - dar adeus é melhor do que permanecer por dó. só quero que você fique enquanto houver felicidade - no meu lado, no seu e no nosso. quero acordar cedo e tomar um café da manhã antes de sair pra passear e sentir o sol na pele - e o frio - mas também quero dormir enquanto o sol nasce e acordar quando ele for embora. quero conhecer cidades e países, e muitas vezes quero te levar junto, mas também quero ir sozinha. sabe como é, conhecer o mundo de dentro enquanto conhece o de fora é importante, e não significa amar menos - significa voltar e continuar amando ainda mais. quero que me espere e quero te esperar - no aeroporto, na cama, na porta. quero te acompanhar e ser acompanhada em tudo, mas também quero que a companhia seja algo apenas nosso em alguns momentos - a solidão preenche espaços. 

quero que você chegue, mas quero que antes as minhas histórias aconteçam. portanto, não demore, mas aconteça no tempo certo e quando for necessário para nós.


eu e você, mas não nós

domingo, 22 de janeiro de 2017

eu confesso que acompanho a sua vida e o seu namoro de longe, e que acho lindo, um dos relacionamentos mais bonitos que já "conheci". mesmo acompanhando apenas pela internet, consigo perceber que vocês se completam e se amam, e que ela te trata da maneira que você merece ser tratado. confesso que sinto alguma coisa estranha quando vejo uma foto de vocês dois juntos e que nunca tinha entendido esse meu sentimento, sendo que quem "destruiu" tudo foi essa que vos fala. ontem entendi, finalmente. estava dentro de um carro voltando para minha casa depois de beber algumas cervejas. já tinha um pouco de álcool no sangue, não posso negar, mas foi durante esse momento que juntei o quebra cabeça de nós dois. noite chuvosa de sábado, mês de janeiro: 3 anos depois da primeira vez, um ano depois da segunda vez. é sempre janeiro, né? sempre o mês mais quente que me impossibilita de querer abraçar alguém. e dessa vez está frio. quase duas semanas de frio. eu gostaria de ter sentido frio nas primeiras vezes com você. mas enfim, vamos lá: você sempre me tratou como uma princesa, como se eu fosse única no mundo. sempre tentou fazer tudo por mim, mesmo com seu jeito de signo-de-fogo de ser. e eu renegava tudo isso. 

vejo que hoje você trata a sua namorada da mesma forma: ela é o seu sol. acho isso poético e sinto ciúme. mas não é ciúme de você, e sim do que eu poderia ter vivido, ciúme do relacionamento que você tem e que eu nunca consegui ter com você. e sejamos sinceros: por culpa minha. aprendi a ser tão independente que criei o meu próprio mundo e até hoje não consigo permitir a invasão de alguma outra pessoa nesse espaço tão meu. eu posso invadir outros planetas, mas não posso ser invadida. entenda: depois de anos morando de favor num planeta vizinho, eu precisava construir o meu próprio, e ele foi feito com uma base tão forte que é impossível entrar aqui. 

eu poderia viver tudo isso com você. viajar com você, cuidar de você e ser cuidada por você... mas a grande questão é que eu não consigo mais ser cuidada por ninguém. o meu jeito maluca e independente, que você carinhosamente apelidou de "mineira", na verdade é uma armadura que não sei como desfazer. e não é só com você, não. eu posso sentir um universo de sensações, mas sempre vou fingir que não sinto tudo aquilo. orgulhosa, sim. e um pouco idiota também. minha mãe diz que nunca vou conseguir me relacionar com alguém e que vou ficar pra titia. os sobrinhos já tenho. e talvez seja um bom destino para uma pessoa que não se permite ser amada, né? fujo na primeira declaração de quase-amor. a sorte é que quase sempre me relaciono com pessoas que também evitam sentir algo, assim acabamos num empate e cada um sai para procurar a felicidade de alguma outra forma. 

recentemente me apaixonei por uma pessoa, e não deu certo. ele acabou ficando com outra. me senti mal por dois dias, mas depois joguei a culpa nele e tentei esquecer. pode ser que, nesse caso, não existam culpados. mas não sou nenhuma mocinha do bem nessa história toda: eu neguei e fingi que não sentia nada durante o tempo todo. eu mergulhei de cabeça nele, mas não permiti que ele soubesse disso e negarei até a morte se vier me perguntar, mas eu senti. assim como senti por você. eu sentia, mas não me permitia a entrega. a verdade, enfim, é que nós não combinamos. você queria cuidar de mim, e eu me cuido sozinha. você queria alguém que cuidasse de você, mas eu cuido apenas de mim. burra, mil vezes burra. eu espero um dia esquecer que queria viver tudo com você, mas que não consegui. 

sempre escrevo sobre a quantidade de amores que já tive. são as minhas histórias para contar. histórias de amor. mas histórias de amor onde o amado nem sabia que existia amor. eu sempre escondo. e eu sempre me arrependo depois, mas acabo sempre repetindo a forma de lidar com meus sentimentos. espero um dia aprender. espero aprender que, principalmente, amar e cuidar de uma pessoa não significa ser dependente dela. as duas coisas para mim ainda andam juntas. 

quero que seja feliz no seu mundo. você merece toda a felicidade que ele tem para te oferecer. <4
Made With Love By The Dutch Lady Designs